Capitalismo, Estresse e Doenças

Jean Costa Santana

Resumo


O presente artigo se trata da amplificação do estresse provocado pelo sistema capitalista. Entende-se, nesse sentido, que o estresse se trata, ate certo ponto, de uma preparação bioquímica do organismo para o enfrentamento de adversidades e riscos. Contudo, o estresse submetido ao capitalismo, é altamentre intensificado e desproporcional à adaptação do sujeito, que levado a forças estruturais maiores se vê condicionado a alterações bioquímicas que podem ser danosa ao corpo humano.

Palavras-chave


Capitalismo- Doenças- Estresse

Texto completo:

TEXTO COMPLETO

Referências


DANTAS, G. A Medina dos Sintomas. 1ed. Brasília: Editora Itacaiúnas, 2015.

FREUD, S. O mal estar na civilização. In: Obras completas de Sigmund Freud: edição standard brasileira. Rio de janeiro: Imago, 2006.

FROMM, E. psicanálise da sociedade contemporânea. Rio de janeiro: Zahar, 1983.

HOLMES, D.S. Psicologia dos transtornos mentais. Trad. Sandra Costa, 2ª ed. Porto Alegre: Artmed, 1997.

ILLICH, I. A expropriação da saúde. Nêmesis da medicina. Rio de janeiro: Nova Fronteira, 1984.

DATASUS. Departamento de informática do SUS. Disponível em: http://datasus.saude.gov.br/noticias/atualizacoes/559-infarto-agudo-do-miocardio-e-primeira-causa-de-mortes-no-pais-revela-dados-do-datasus>. Acesso em: 29 de abril de 2016.

MÉSZÁROS, I. Para além do capital: ruma para uma teoria da transição. 1ªed. São Paulo: Boitempo, 2011.

SCHNEIDER, M. Neurose e classes sociais: uma síntese Freudiano-Marxista. Trad: Áurea Weissenberg. Rio de janeiro: Zahar, 1977.

VIANA, N. O capitalismo na era da acumulação integral. São Paulo: Ideia e letras, 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.