A corrupção e a violência em uma sociedade baseada na mercadoria

Ìtalo Rosendo

Resumo


A atual sociedade de hiperconsumo expandiu a concepção de Mercadoria a tudo que possa servir a interesses comerciais; ou seja, tudo e qualquer coisa. O melhor exemplo contemporâneo é a comercialização de “frascos de ar puro” na capital chinesa, que cada dia bate recordes de nível de poluição do ar, quase inviabilizando a vida humana que lá serve, literalmente, apenas como engrenagem na cadeia produtiva de bens para o crescimento econômico. A cultura monetária e de consumo acentuam o desvio ético, gera corrupção e violência.

Palavras-chave


corrupção, violência, mercantilização, mercadoria, mercado, consumo, capitalismo

Texto completo:

Texto Completo


DOI: http://dx.doi.org/10.2322/rpo.v3i11.525

Apontamentos

  • Não há apontamentos.